Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Battisti: criminoso ou bode expiatório?

22/01/2009 - 11:02

Tempos atrás sugeri, aqui, uma discussão mais técnica sobre as acusações que pesavam sobre Cesare Battisti, o refugidado italiano que o governo brasileiro conferiu o direito de asilo.

No Valor de hoje, a Maria Inês Nassif mostra o inquérito a partir do relato de Battisti em seu livro. Há elementos fortes que, se comprovados, indicariam uma ampla manipulação do inquérito. O Contardo Calligaria também bate nessa tecla,da delação premiada, mas traz outros elementos sobre os anos de chumbo da Itália (clique aqui)
http://www.google.com/notebook/public/03904464067865211657/BDSKNSgoQnoLO8O8j
1. Battisti teria se desligado do grupo dos PAC, quando ele aderiu ao terrorismo.
2. Nas investigações, houve a oferta da delação premiada aos membros do grupo que foram presos. O grupo teria se valido da oportunidade para se livrar de penas maiores, imputando a autoria ao membro que havia se desligado.
Confiram o artigo e, depois, se houver argumentos que o contradigam, que apresentem, para esquentar e tornar objetiva a discussão.

Do Valor Econômico

Um bode expiatório conveniente à Itália

Maria Inês Nassif